BARREIRAS REVISTA ENTREVISTA ARTISTA BARREIRENSE QUE SE DEDICA A ARTE DE DESENHAR ~ Mural do Oeste

BARREIRAS REVISTA ENTREVISTA ARTISTA BARREIRENSE QUE SE DEDICA A ARTE DE DESENHAR


A Barreiras Revista entrevistou o artista da terra, Sid Dourado, que de fã fissurado por revista em quadrinhos se tornou expert em fazer desenhos. Confira a entrevista e veja alguns dos desenhos de Sid:

Brs. Revista. Como surgiu a ideia de começar a desenhar?

Sid Dourado. Quando criança eu colecionava revistas em quadrinhos e além das batalhas de heróis VS vilões que tanto me fascinavam outra coisa também já me deixava curioso, era como os desenhistas conseguiam sincronizar tão bem as falas dos personagens com suas ações, expressões, perspectivas e onomatopeias. Com 10 ou 11 anos já começava a desenvolver minhas próprias historinhas usando como personagens familiares e vizinhos em situações corriqueiras. Tudo muito rustico (só minha mãe gostava) rsrs.


Brs. Revista. Alguém te inspirou? Quem e por quê?

Sid Dourado. Sim, um dos meus irmãos mais velhos, Douradinho. Logo depois das revistinhas em quadrinhos eu passei a tomar gosto por desenhos e artes plásticas em geral e minha casa nessa época era frequentada pelos amigos de meu irmão, eram músicos e artistas plásticos, eu os via desenhando nas paredes do quarto dele, eram surrealistas eu não entendia muito bem, me agradava e sabia que poderia fazer aquilo também. Entre essa turma estava um cara que se tornaria meu grande amigo e que eu tenho profunda admiração tanto como artista plástico, musico, poeta e também como pessoa, Randesmar ou simplesmente Randes, herdei também dessa turma o gosto musical: led zeplim, pink floid, janis joplin, Caetano veloso, Gil, legião urbana, Raul seixas  entre tantos outros que ouço até hoje.

Brs. Revista. A inclusão digital causou uma revolução na área de desenho e animações com softwares capazes de simplificar todo o processo de criação. Essa mudança foi benéfica? ou de uma certa forma prejudicou?

 Sid DouradoCom certeza ajuda muito, quando você vê uma animação como a Era do gelo ou Rio, por exemplo, pode imaginar que é pura tecnologia computadorizada, entretanto antes de tornar-se animação é criado no papel e lápis à mão livre por um artista, são os chamados storyboards. Outra vantagem da inclusão digital é o acesso a técnicas novas, matérias de qualidade a exposição de seus trabalhos e a troca de informações entre artistas. Costumo dizer que desenhar é muito mais técnicas, observação e persistência do que um dom implícito.  A qualidade dos meus desenhos aumentou muito depois da inclusão digital, descobri técnicas que dificilmente encontraria sem a internet.

Brs. Revista. Sabemos que além desenhar, também faz tatuagens. O que é mais difícil, desenhar no papel ou aplicar uma tatoo?
  
Sid Dourado. Os dois têm suas peculiaridades, porém a tatuagem exige uma precisão cirúrgica na aplicação do pigmento, há questões importantes pra se verificar: um tatuador tem que trabalhar na anatomia humana com suas curvas e texturas diferentes, muitas vezes em ângulos que fica difícil manter uma maquina que está em constante vibração parada, outra dificuldade é que um tatuador não pode cometer erros, pode ser irreversível e causar um dano estético e psicológico em um cliente, já um desenhista é só passar a borracha que resolve. Um desenhista pode treinar todos os dias no papel e aperfeiçoar o tatuador nunca treina, sempre vai ser pra valer. Por outro lado o que muitos não sabem é que, você pode ser um tatuador e não saber desenhar nada (basta além da habilidade com a máquina saber observar) o desenho é transferido em um decalque e pintado por observação. Mesmo assim, a tatuagem é bem mais complicada em minha opinião.

Brs. Revista. A arte de desenhar tem alguma ligação com a musica? Que tipo de musica te dá inspiração?
  
Sid DouradoNo meu caso sim, além de tantas capas do Iron Maidem e do Guns`n roses que copiei, sempre que estou desenhando ou tatuando gosto de um fundo musical pra buscar inspiração, as musicas dependem muito de que tipo de desenho estou elaborando, quando um realismo ouço Janis Joplin, Bob dilan, Mercedez sosa, Engenheiros do Hawai, Legião urbana, Raul seixas, Lobão, Cassia eller, Zé ramalho entre tantos outros que não caberia aqui. 

Quando o desenho é mais pro lado das charges, cartoons e caricaturas  eu gosto de ouvir um rock com uma batida mais rápida ou até mesmo um hip hop americano.
  
Brs. Revista. Deixe uma mensagem para o leitor.

Sid Dourado. A arte também está nos olhos de quem a contempla.
  


Um pouco da arte de Sid Dourado

  • feitos a partir de observação de fotografias.
          


                                                                             


        

    Cenas reais que eu presenciei. E essas pessoas realmente existem.



      

    Barsinho do Seu Cloves (barreirinhas)




  • Turma da cargil




    Zé tocão





    O desenho Palominha, foi feito para uma amiga que estava noiva e ela mandou gravar na caneca.









    Outras obras


       


     


      



      



      






          




  • Fonte: Barreiras Revista.

0 comentários:

Postar um comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Blog Mural do Oeste É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. Blog Mural do Oeste poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada,Que esteja sem indentificação.

Comentários Recentes