APOIO DA CODEVASF À APICULTURA GARANTE RENDA EM MEIO À SECA NO SEMIÁRIDO

  apicultura 1
  apicultura 2

As ações da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) voltadas para a inclusão produtiva no semiárido baiano ajudaram a transformar Campo Alegre de Lourdes no município que hoje contabiliza a maior produção de mel do Norte do estado. São cerca de 260 famílias em 45 comunidades produzindo, em média, 40 kg de mel por colmeia.

Os investimentos de cerca de R$ 4,4 milhões feitos pela Codevasf na atividade da apicultura daquela região beneficiaram também produtores familiares dos municípios vizinhos de Pilão Arcado, onde 191 famílias produzem mel em 38 comunidades, e Remanso, onde 181 famílias de 27 comunidades rurais são contempladas com as ações.


No total, a região norte da Bahia registra uma produção de mais de 20 mil toneladas de mel por ano, gerando renda para centenas de famílias que antes dependiam da agricultura de subsistência e que se encontravam em situação de extrema vulnerabilidade social, sobretudo em razão da seca prolongada.

“Hoje a realidade é outra. Muitos dos beneficiários das ações de inclusão produtiva da Codevasf já têm casa própria – muitas antes eram improvisadas, de taipa -, alguns têm automóveis e todos conseguem sustentar a família por meio da produção de mel”, afirma o Zootecnista Everaldo Cavalcante, da 6ª superintendência regional da Codevasf, sediada em Juazeiro.

O mel produzido no Norte baiano é comercializado por meio da cooperativa de apicultores para empresas exportadoras, e também é vendido via programas de compras públicas do Governo Federal para a alimentação escolar e os centros de abastecimento.

Neuza Ribeiro dos Santos, apicultora da comunidade de Lagoa da Pedra, em Pilão Arcado, conta que a produção de mel tem lhe garantido bom reforço no orçamento familiar. “Tem pouco tempo que comecei nessa atividade, mas já tem me ajudado muito. Eu e meu marido trabalhamos juntos, temos outras atividades, mas o mel tem nos dado uma boa renda”, garante.

A estruturação da cadeia produtiva do mel, realizada pela Codevasf com recursos da Secretaria de Desenvolvimento Regional (SDR) do Ministério da Integração Nacional, inclui construção de Unidades de Beneficiamento de Mel e kits de apicultura compostos, cada um, de 20 colméias, 20 suportes de ferro, 20 kg de cera de abelha pura alveolada, duas indumentárias completas, um formão de apicultor, uma carretilha apícola e um fumigador para ajudar na execução dos serviços. Além disso, 19 capacitações foram empreendidas até o momento para as famílias de apicultores do Norte da Bahia.
“Incentivar a economia local com a atividade de apicultura é um importante meio para se gerar sustentabilidade, principalmente em momentos de crise”, afirma o superintendente da Codevasf em Juazeiro, Misael Neto. “Os projetos de capacitação da Codevasf mostram que o homem do campo tem valor e pode viver de forma digna sem sair do seu local de origem”, destaca o superintendente.
Qualidade reconhecida
Segundo as informações mais recentes da Câmara Setorial do Mel, o produto brasileiro já é considerado um dos melhores do mundo e, graças a isso, seu preço no mercado externo vem crescendo ao longo da última década: em 2003, ano em que começou a exportação do mel brasileiro, o preço era de US$ 2,36 o quilo, tendo subido gradativamente até alcançar US$ 3,68/kg em 2015. Já o valor do quilo produzido saltou 246% desde 1995.

De acordo com o IBGE, o Brasil produz mais de 35 mil toneladas de mel ao ano. Dados da Associação Brasileira dos Exportadores de Mel apontam que, em 2015, o país exportou 22,2 mil toneladas, registrando um faturamento de US$ 81,7 milhões e se consolidando como o oitavo maior exportador de mel do mundo.

A apicultura é uma atividade de grande impacto social: praticamente metade (49,5%) dos apicultores possui até 50 colmeias e é responsável por 17% da produção. Se considerados os apicultores com até 200 colmeias, eles perfazem 90% do total e respondem por 60% da produção nacional.


Jornal O Expresso 
APOIO DA CODEVASF À APICULTURA GARANTE RENDA EM MEIO À SECA NO SEMIÁRIDO APOIO DA CODEVASF À APICULTURA GARANTE RENDA EM MEIO À SECA NO SEMIÁRIDO  Reviewed by Mural do Oeste on quarta-feira, agosto 24, 2016 Rating: 5
Tecnologia do Blogger.