ISAQUIAS! AO LADO DE ERLON, BAIANO LEVA PRATA E VIRA MAIOR BRASILEIRO EM UMA OLIMPÍADA

   Dupla brasileira vai em busca de mais uma medalha para o país

Isaquias Queiroz é um fenômeno: três medalhas no Jogos Olímpicos do Rio 2016! 

Após duas medalhas individuais, de prata e bronze, Isaquias Queiroz voltou às águas da Lagoa Rodrigo de Freitas na manhã deste sábado ao lado do parceiro Erlon de Souza e ganhou a terceira: a prata no C2 1.000m da canoagem velocidade.

Uma, duas, três medalhas olímpicas em uma mesma edição! Isaquias, agora, tem o que nenhum brasileiro conseguiu na história dos Jogos.


O baiano de Ubaitaba e apenas 22 anos já havia igualado, na última quinta, os atiradores Afrânio da Costa e Guilherme Paraense (1920), além dos nadadores Gustavo Borges (1996) e Cesar Cielo (2008), entrando para o grupo de atletas do país com pódios duplos em uma única edição olímpica, após ser prata na C1 1.000m e bronze na C1 200m.

Agora, com três conquistas, ele é único.

E o filho da humilde dona Dilma e que tem cinco irmãos não poderia celebrar de melhor forma: ao lado do parceiro.

Erlon de Souza, também baiano, mas de Ubatã, foi aos poucos virando a pedra no sapato de Isaquias nas competições locais, regionais e nacionais. Até que passaram a competir juntos.

Deu muito certo. Em 2015, em Milão, na Itália, ganharam simplesmente o Mundial de canoagem de velocidade na categoria C2 1.000m, a mesma da medalha deste sábado.

Dois frutos de um trabalho que começou há mas de 30 anos com Jeferson Lacerda, primeiro brasileiro a competir na canoagem em Olimpíadas, em Barcelona 1992.

Ele e outros amantes da canoagem que, mesmo sem a devida ajuda dos governos estadual e federal e da Confederação Brasileira de Canoagem, tocam à força o trabalho de base em Ubaitaba e cidades próximas.

Outro nome a ser destacado nesta história é o do espanhol Jesus Morlán. O técnico linha dura foi contratado em 2013 para dirigir a seleção brasileira, após ganhar cinco medalhas olímpicas com o compatriota David Cal.

Impôs seu estilo de trabalho pesado, com uma semana de folga a cada oito seguidas de trabalho, em uma cidade escolhida a dedo em Minas Gerais. Faz questão de dizer que não é amigo dos atletas.

Com oito medalhas olímpicas, é um lapidador de campeões que entrega resultados.

Isaquias e Erlon, jovens de 22 e 25 anos: o Brasil ainda pode ganhar muito na canoagem com eles.
ISAQUIAS! AO LADO DE ERLON, BAIANO LEVA PRATA E VIRA MAIOR BRASILEIRO EM UMA OLIMPÍADA ISAQUIAS! AO LADO DE ERLON, BAIANO LEVA PRATA E VIRA MAIOR BRASILEIRO EM UMA OLIMPÍADA Reviewed by Mural do Oeste on sábado, agosto 20, 2016 Rating: 5
Tecnologia do Blogger.