REFORMA EM SÍTIO DE QUE A LAVA JATO DIZ SER DE LULA FOI PARA RECEBER ACERVO PRESIDENCIAL

   

O empresário Fernando Bittar, sócio de um dos filhos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, afirmou à Polícia Federal, nesta quarta-feira, 16, que “parte das obras” no Sítio Santa Bárbara, em Atibaia (SP) – que para a Operação Lava Jato pertence ao petista – foram realizadas “em razão da necessidade de recepção do acervo presidencial do então presidente da República”. Bittar é sócio de Fabio Luís Lula da Silva, o Lulinha na BR4, holding que controla a Gamercorp – e dono oficial da propriedade rural que a Lava Jato diz pertencer a Lula.
Além da suposta ocultação patrimonial, a força-tarefa de procuradores da República e delegados federais aponta que reformas realizadas em 2011 e 2014, no imóvel, pelas empreiteiras Odebrecht e OAS, ocultaram propinas do esquema Petrobrás. Ouvido em São Paulo pelo delegado Márcio Adriano Anselmo, Bittar disse que as obras “foram realizadas diretamente” por ele, como “obras de segurança, instalação do gerador circuito fechado de TV”. 


Estadão
REFORMA EM SÍTIO DE QUE A LAVA JATO DIZ SER DE LULA FOI PARA RECEBER ACERVO PRESIDENCIAL REFORMA EM SÍTIO DE QUE A LAVA JATO DIZ SER DE LULA FOI PARA RECEBER ACERVO PRESIDENCIAL Reviewed by Mural do Oeste on sexta-feira, agosto 19, 2016 Rating: 5
Tecnologia do Blogger.