BARREIRAS: APÓS MORTE DE FILHA, CASAL DA BAHIA CRIA CAMPANHA PARA USO DE CADEIRINHA


Após a morte da filha de três anos em um acidente de trânsito ocorrido em 2009, o casal de empresários baianos, Sandra e Rembrandt Cordeiro, passaram a fazer campanhas de outdoors sobre a conscientização para a segurança no trânsito. Para isso, eles espalham as peças por Barreiras, cidade onde moram, no oeste da Bahia, e rodovias próximas ao município.
O casal é dono de uma empresa de comunicação visual em Barreiras, e eles aproveitam a atividade que desenvolvem para fazer as campanhas. O trabalho é todo produzido por eles, sem qualquer recurso de iniciativas privadas ou públicas. O foco do casal está em abordar a importância do uso da cadeirinha para as crianças, pois eles acreditam que a morte da filha deles, Emilly Raquel, ocorreu porque ela estava fora da cadeira no acidente que aconteceu na BR-242.
"Ela nunca queria ficar na cadeirinha, até que cedemos. Foi assim que surgiu a ideia da frase que faz parte da campanha: 'Ela não queria, eu aceitei e nós a perdemos'", disse Rembrandt.

Sandra relata que eles investiram no melhor equipamento que podiam para deixar a filha confortável, mas isso não foi o suficiente para que a criança gostasse da cadeira. "A gente acha que não vai acontecer com a gente. Essa viagem ela nem ia, mas quando eu cheguei em casa, ela já estava com a mala pronta. Ela era tão madura, que ela mesma fez a mala dela. Parecia até uma criança de 10 anos", lembra.
Rembrandt lembra que o acidente em que a filha morreu ocorreu próximo a Ibotirama, também no oeste da Bahia. A esposa, a filha e outros membros da família voltavam para Barreiras após uma visita familiar. Todos os outros passageiros sobreviveram ao acidente.
"Sandra estava dirigindo o carro e estavam a irmã dela, o cunhado e nossa filhinha. A rodovia estava em obras, estavam fazendo uma manutenção na pista, arrancando o acostamento. Minha mulher perdeu o controle da direção após a roda do carro encostar em uma parte mais baixa da pista que estava passando por obra e capotou", explicou.
Desde que ocorreu o acidente, eles fazem a campanha e a intensificam no período de festas, quando o movimento é maior nas estradas. Nesta quarta-feira (23), eles já espalharam alguns outdoors pela cidade, por conta das festas de final de ano.
Sandra revelou que chegou a sonhar com o acidente, um mês antes de acontecer. "Eu tive um pesadelo com tudo. Até a roupinha que ela vestia na hora do acidente era a mesma do sonho. Após o pesadelo, eu não dormia direito e compartilhei com minha família. Só depois a gente entendeu. Depois que saí do carro no dia do acidente, então consegui lembrar do sonho", disse.
Superação e ajuda
Para o casal, que tem outros dois filhos de 17 e 20 anos, a família e o amigos foram de extrema importância para eles conseguirem lidar com a perda da filha.

"Se você não tiver uma base, não tem como superar. Tem dias que é difícil, bate uma saudade. A  presença dela é constante", relata Sandra, que conta que passou um ano trabalhando quase 24h por dia. "Até que meus outros filhos disseram: 'mãe nós precisamos da senhora', e hoje superei", disse Sandra.
Rembrandt também falou sobre o sentimento de perda da filha. "A dor de perder um filho é tão grande, que todos os pais quando forem dormir deveriam implorar a Deus que nunca leve um filho dele", relatou.
A morte da filha motivou o casal a fazer as campanhas e também a levar alegria para outras crianças, através de um mini parque de diversões itinerante gratuito. Sandra e Rembrandt mantêm uma página no Facebook chamada "Amigos da Emilly", no qual divulgam ações feitas para honrar a memória da menina, como a organização de eventos infantis com cama elástica, tobogãs, piscina de bolinhas, máquina de algodão doce e pipoca. O objetivo é levar entretenimento às crianças mais carentes do município.
"Primeiro surgiu a campanha [nos outdoors] e depois fomos com a família fazer a última viagem que ela [Emilly] fez. Então surgiu a ideia de fazer um São João das crianças e, no período de um mês, a gente comprou os brinquedos. A gente quer levar um pouco da alegria de Emilly para as crianças. A gente jamais faria o que faz hoje se o acidente não tivesse acontecido", disse Rembrandt.
evento gratuito para crianças que o casal de empresários faz no oeste da Bahia 
G1
BARREIRAS: APÓS MORTE DE FILHA, CASAL DA BAHIA CRIA CAMPANHA PARA USO DE CADEIRINHA BARREIRAS: APÓS MORTE DE FILHA, CASAL DA BAHIA CRIA CAMPANHA PARA USO DE CADEIRINHA Reviewed by Mural do Oeste on quinta-feira, novembro 24, 2016 Rating: 5

Nenhum comentário:

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Blog Mural do Oeste É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. Blog Mural do Oeste poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada,Que esteja sem indentificação.

Tecnologia do Blogger.