SE EU FOSSE PREFEITO DE NOVO


Por Maglon Ribeiro

Certamente muitos prefeitos que não foram reeleitos, ou que não fizeram o sucessor devem estar se preguntado onde foi que eu errei? Talvez devem estar questionando aos seus botões a lógica da derrota. Alguns até dão a ousadia de dizer que fez tudo certo, e que merecia continuar o seu trabalho. Outros consideram que fez um bom trabalho, mas na sondagem da opinião pública foram reprovados por falta de realizações. É bom que se diga que o principal critério para um prefeito ser reeleito é uma boa avalição como administrador, a aprovação dos eleitores. Pesquisas apontam que para um prefeito ser reeleito precisa estar com índice acima de 60% de aprovação. Se o governo vai bem o povo quer que continue, se não, o próprio povo trata de tirar. É a lei da democracia. Entretanto não podemos deixar de frisar que as eleições municipais deste ano de 2016 o desejo de mudança foi muito forte e alguns prefeito, mesmo tendo feito um bom governo, não conseguiram fazer o sucessor, como foi o caso, na nossa região (Oeste da Bahia), de Luis Eduardo e Barra.

Mas mesmo diante dessas avaliações é previsível que alguns derrotados devem estar sonhando com a possibilidade de voltar a ser prefeito e, nesse caso, planejam uma nova forma de governar, que não recorra aos erros cometidos e a desaprovação da população. Então , se você fosse prefeito de novo, como você administraria o município?

“Ah, se eu fosse prefeito de novo”:
Ficaria mais próximo do povo. Abria meu gabinete para as pessoas. Reservava um dia da semana só para atender a população. Visitaria constantemente os distritos, os bairros, conversando com os moradores, ouvindo suas queixas e, certamente procuraria atende-las e minimiza-las;
Seria mais rígido na aplicação dos recursos. Manteria o controle do orçamento para fazer muito mais pelo o município;

Não transformaria a prefeitura num cabide de empregos. A folha de pagamento não passaria de 40% do previsto em lei, assim eu aumentaria a capacidade de investimento do município;

Daria uma atenção especial as áreas de saúde, educação e assistência social. Faria um governo mais voltado para o social;

Fico perguntando: é tão simples passar uma máquina em determinadas ruas e deixa-las limpas, não custa tão caro, mas não o fiz. Investia mais na coleta de lixo. Se eu fosse prefeito de novo minha cidade seria um brinco;

Uma outra coisa muito importante que eu negligencie. Sempre me falaram que a comunicação é a alma de um governo. Eu não dei importância e, agindo assim não mantive um diálogo com a população, também não a ouvi para saber o que ela precisava ao mesmo tempo não disse para ela o que eu estava fazendo. Se eu fosse prefeito de novo eu faria comunicação governamental;

Com certeza eu ia monitorar a opinião pública, fazendo de três em três meses uma pesquisa de campo confiável avaliando a forma de governar, a equipe, e, sobretudo se eu estava acertando nas ações governamentais se as obras estavam atendo as expectativas da população;

Uma coisa diferente que eu faria: promover escutas públicas, criaria um espaço de participação popular e seria transparente na aplicação dos recursos. Explico o porquê: No extenso e diverso rol de demandas por obras de infraestrutura que pressiona uma prefeitura, a motivação de estabelecer prioridades adequadas e compatíveis às reais carências da população e aos recursos disponíveis é um dos grandes desafios de uma gestão municipal. A incorporação de instrumentos técnicos e da participação da sociedade constitui contribuição fundamental para subsidiar ações de governo e avançar em processos de gestão comprometidos e modernos. A gestão pública requer uma nova forma de governar;

Antigamente a gente fazia algumas obras no último ano de governo e ganhava a eleição. O povo via aquilo como ações de um bom prefeito, trabalhador. Hoje a coisa está diferente, o povo não acredita mais em obras eleitoreiras. Se eu fosse prefeito de novo faria um governo marcado por obras, no mínimo de seis em seis meses estaria inaugurando algo em benefício da população. (Só para ilustrar este tópico, pesquisas mostram que obras no último ano de governo de uma administração que já está reprovada, não mudará o voto de quem está sendo beneficiado por ela).
“Ah! se eu fosse prefeito de novo eu seria um novo prefeito. Será que eu tenho chances?”



SE EU FOSSE PREFEITO DE NOVO SE EU FOSSE PREFEITO DE NOVO Reviewed by Mural do Oeste on segunda-feira, novembro 28, 2016 Rating: 5

Nenhum comentário:

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Blog Mural do Oeste É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. Blog Mural do Oeste poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada,Que esteja sem indentificação.

Tecnologia do Blogger.