expr:class='data:blog.pageType'>

UFBA DEBATE ELEIÇÕES DIRETAS


Um ato em favor de políticas públicas para o fortalecimento da Dança, proposto pelo deputado Marcelino Galo (PT), defendeu, nesta quinta-feira (25), no Teatro Experimental da Escola de Dança da UFBA, a realização de eleições diretas como forma do Brasil superar a crise política e institucional que atravessa e de retomar a normalidade democrática e o desenvolvimento nacional. O evento "Dança, Crise, Desmonte e Caminhos" reuniu artistas, estudantes, professores e profissionais da linguagem artística, como o presidente da Cooperativa de Dança de São Paulo, Sandro Borelli, da Diretora da Escola de Dança, Dulce Aquino, do Fórum Nacional de Dança, com Marise Siqueira, e Matias Santiago, entre outros.  
Para Galo, a “agenda ultraliberal” que se estabeleceu no Brasil a partir do “golpe parlamentar” apresenta desde o início um conjunto de retrocessos, com retiradas de direitos e conquistas históricas, que visam “tão somente garantir o lucro do capital financeiro especulador” em detrimento do fortalecimento do desenvolvimento do país com investimentos em cultura, educação, saúde, segurança, infraestrutura e outros setores estratégicos como a agricultura familiar e o energético. 

“O golpe parlamentar teve esse objetivo, de retirar direitos e conquistas históricas do povo brasileiro e pôr fim a investimentos essenciais para nosso desenvolvimento. Como não conseguiriam estabelecer essa agenda ultraliberal pela via democrática, pelo voto popular, deram o golpe. É fundamental compreendermos isso, porque os reflexos estão aí em nossa vida cotidiana. O problema é que o golpe não resolveu a crise política, como eles esperavam, e agravou a crise institucional. Então, a saída passa pela convocação de eleições gerais e de uma constituinte exclusiva que promova uma reforma política séria, porque o sistema, com o financiamento privado, a interferência do poder econômico, mostra-se falido, como sempre alertamos”, enfatizou. “Arte e cultura, por outro lado, precisam ser encarados como prioridade, como fundamentais no processo civilizatório, mas essa elite política que está aí não tem essa compreensão. Por isso é fundamental a organização, a luta, com muito engajamento dos artistas e também conscientização popular”, ressaltou Galo. 

A professora e Diretora da Escola de Dança da UFBA, Dulce Aquino, revelou estar preocupada com os últimos acontecimentos e reforçou a necessidade de uma nova eleição direta para garantir a normalidade democrática no Brasil. “Esse evento aqui falou de Dança, sim, porque a gente não pode deixar de falar de flores, mas nós estamos antes de tudo com essa indignação, porque esse sentimento de mudanças profundas que a gente precisa ter no Brasil só é possível com diretas já, afinal todo poder emana do povo”, desabafou. 

“Esse governo golpista desestruturou as políticas de cultura completamente. Tudo que havia avançado com Gil e Juca foi demolido, com repercussão em todos os estados. Então se a gente quer ter o país reunido de novo, pacificado, com um projeto, isso só será possível por eleições diretas. Não temos como ter nenhuma saída, nenhuma discussão legítima no país sem que o povo participe”, ratificou Bete Wagner, militante ambientalista e cultural na Bahia.


Fotos divulgação / Daniel Ferreira

Assessoria de Imprensa 
Daniel Ferreira - (71) 8835-0929 (claro) / 9637-3154 (vivo). 
UFBA DEBATE ELEIÇÕES DIRETAS UFBA DEBATE ELEIÇÕES DIRETAS Reviewed by Redação Mural do Oeste on sexta-feira, maio 26, 2017 Rating: 5

Nenhum comentário:

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Blog Mural do Oeste É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. Blog Mural do Oeste poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada,Que esteja sem indentificação.

Tecnologia do Blogger.