expr:class='data:blog.pageType'>

CRÔNICA - HISTÓRIAS POLÍTICAS DO OESTE BAIANO. A INJEÇÃO QUE FAZ O CABRA DISCURSAR FALANDO BEM DE ACM


Roberto de Sena
Mural do Oeste

Foi, se não me engano, no final dos anos 80 que Deraldino protagonizou a façanha que agora lhes conto com gosto e prazer. 

Barreiras, na época ainda uma cidade pequena mas já com ares de capital do Oeste Baiano, apresentava os seguintes candidatos a prefeito: Paulo Braga, Saulo Pedrosa, Otacílio Monteiro da Franca, Marina Castro, Reginaldo Melo, Pedro Guedes e Ribamar do PT. Mas a disputa mesmo era entre Paulo Braga e Saulo Pedrosa. Braga era apoiado pelo então prefeito Baltzarino Araújo Andrade e pelo ministro das Comunicações, Antonio Carlos Magalhães. Saulo Pedrosa tinha o apoio das oposições e do deputado federal Jutahy Magalhães.

A política naquele tempo não era profissionalizada como hoje. Tudo era feito na base da intuição, da astúcia, da sagacidade e da treita. A fofoca corria solta. Todo dia um boato novo pipocava aqui e acolá. 

O povo ainda tinha o costume de se sentar as portas nos finais de tarde para prosear. Era o zap zap da época. E em tempos de eleição a política, era o principal assunto das conversas. Os líderes políticos utilizavam a estratégia de botar aliados menos conhecidos para ir "assuntar" o movimento dos adversários, saber se tinha muita gente, se o negócio foi animado, como foram os discursos, etc e tal.

É neste cenário bucólico daquela tranquila cidade dos anos 80 que desponta Deraldino, candidato a vereador e um dos mais fortes aliados de Saulo Pedrosa. Vivia de bandeira em punho para cima e para baixo, nas ruas de Barreiras, gritando a plenos pulmões: "Viva Dr. Saulo, é o maior, ja ganhou". Por conta deste comportamento aguerrido, Deraldino, virou uma figura emblemática da campanha de Pedrosa.

Pois muito bem.

Ocorre que o poderoso ministro das Comunicações Antonio Carlos Magalhães desembarcou em Barreiras para participar de um gigantesco comício em apoio a candidatura de Paulo Braga. 

Me lembro como hoje.

O comício foi em Barreirinhas, na praça Sabino Dourado. Desde cedo o radialista Gilmar Azevedo, que era o apresentador do comício, anunciava a todo momento. "Daqui a pouco teremos a grande surpresa da noite, um forte candidato a vereador que era do outro lado, percebeu que a vitória já é nossa e mudou de lado e vai dizer aqui para todo mundo ouvir que apoia Paulo Braga. É daqui a pouco, aguardem vai ser sensacional". 

A notícia correu ligeiro pela cidade. Paê Barbosa, ao tomar conhecimento do caso, acelerou para o povoado do Barrocão onde Saulo fazia um comício, e, lá chegando pediu para o doutor terminar logo e rumar de volta para Barreiras pois algo grave iria acontecer no comício de Paulo Braga. Paê contou a Saulo, em detalhes, que um candidato a vereador o havia traído e iria discursar no comício do adversário. 

O momento pedia providências urgentes.

A comitiva de Saulo encerrou rapidamente o comício do Barrocão e desceu velozmente para Barreirinhas. Lá ficou postada, espreitando nas esquinas, nos becos, esperando na maior ansiedade para saber quem seria o traidor.

E Gilmar Azevedo bradava no microfone: "É daqui a pouco, vai ser espetacular. Um candidato a vereador do outro lado, uma liderança forte, abandonou o outro candidato e já está na caravana vitoriosa de Paulo Braga. Vocês vão ver aqui este fato marcante da eleição. Nunca Barreiras viu nada igual. Vai entrar para a história."

E o povão lotando a praça na maior expectativa aguardando para ver  quem seria o artista daquele formidável espetáculo político.

Já no final do comício, antes do discurso de ACM, o locutor anuncia. "E agora a grande surpresa da noite, um vereador que era do outro lado, viu que do lado de lá é o atraso e resolveu mudar para o lado do progresso. Vamos receber com muitos aplausos o grande vereador Deraldino."

Ei-lo que surge no centro do palanque de microfone em punho encarando a multidão. Fogos pipocam por todos os lados. O publico faz um barulho ensurdecedor. Deraldino ergue o braço, pede silencio e começar falar.

"Meus senhores e minhas senhoras, o homem tem que ter decisão na vida e hoje eu fiz uma reflexão e Deus me iluminou e eu vi que bom para nós é ACM e que meu prefeito, a partir de hoje, é Paulo Braga e vamos a vitória com muita união.Essa é nossa e ninguém tira. Viva Paulo Braga, Viva ACM."

Deraldino foi abraçado por Paulo Braga, afagado por ACM, por Baltazarino, por Zé Xique-Xique, Agnaldo Pereira, Tutu, Dó Miguel e por tantos outros que estavam lá naquela noite.

Mas a história não acabou aí. O pior (ou o melhor) ainda estava por vir.

Quando terminou o comício, correligionários de Saulo Pedrosa, agarraram Deraldino pelo pescoço e o levaram para um beco escuro, na intenção de aplicar-lhe um corretivo.

Deraldino esperneava enquanto era xingado: "traidor, vendido, miserável, vagabundo, vai tomar uma surra de criar bicho, seu descarado!"

"Ou eu invento uma história bem inventada em cima da bucha ou essa turma me mata" pensou Deraldino e foi logo dizendo. "Vocês podem me bater mas antes deixa eu contar o que aconteceu". Paê Barbosa, que sempre foi calmo e equilibrado, aceitou o argumento de Deraldino e o mandou que contasse o que o havia feito mudar  de lado de uma hora para outra e ainda tendo a  coragem de ir discursar em palanque do adversário.

E Deraldino saiu-se com essa história genial,

"É o seguinte. Eu tava ali na praça tomando uma cerveja, e já ia me embora pra casa quando chegaram dois homens fortes, mal encarados e perguntaram se eu era o candidato a vereador Deraldino. Eu, como num devo nada a ninguém, e num tenho medo de cara feia, respondi na lata. Tá falando com ele. Rapaz, os dois cabras me agarraram, não adiantou eu espernear e nem pedir socorro. Eles me sujegaram e me aplicaram uma injeção daquelas de dar em cavalo, uma bicha deste tamanho, num sabe! Eu só tive tempo de ler na caixa; INJEÇÃO QUE FAZ O CABRA DISCURSAR NA MARRA FALANDO BEM DE ACM. Para vocês terem ideia de como a injeção é forte, num minuto a bicha fez efeito, os olhos escureceram, me deu uma tontura miserável, ferveu o juízo, desmantelou a moleira,  eu fiquei de miolo mole, bestaiado da ideia. Eu queria ir pra casa mas as pernas não me obedeciam e só caminhavam para o palanque contra a minha vontade e, ainda por cima, tinha um trem falando no meu juízo: discursa e diz que o bom é Paulo Braga e ACM e que o resto não presta. Discursa falando bem de Paulo Braga e esculhamba os outros candidatos. discursa cabra! Foi isso que aconteceu, eu juro pelo Senhor dos Aflitos, meus irmãos, num tenho culpa, sou inocente! A culpa é desta injeção que faz o cabra discursar falando bem de ACM. Deus que livre vocês de tomar uma bicha perigosa dessa. Se vocês tomarem a bicha ceis mudam tudo pro partido de ACM e de Paulo Braga. Num fica um com o doutor. Se apegue com o Senhor dos Aflitos para que ninguém pegue vocês desprevenido e aplique a peste desta injeção em vocês. É bater na moleira e o cabra muda de lado na hora e sai falando bem de ACM. Ô injeção infeliz da gota serena!"

Ao ouvirem a inusitada história, a turma que antes estava furiosa, começou rir e deixou Deraldino em paz.  Paulo Braga e Saulo Pedrosa estão ai vivos e fortes para não me deixar mentir.

CRÔNICA - HISTÓRIAS POLÍTICAS DO OESTE BAIANO. A INJEÇÃO QUE FAZ O CABRA DISCURSAR FALANDO BEM DE ACM CRÔNICA - HISTÓRIAS POLÍTICAS DO OESTE BAIANO. A INJEÇÃO QUE FAZ O CABRA DISCURSAR FALANDO BEM DE ACM Reviewed by Redação Mural do Oeste on sábado, julho 29, 2017 Rating: 5

Nenhum comentário:

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Blog Mural do Oeste É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. Blog Mural do Oeste poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada,Que esteja sem indentificação.

Tecnologia do Blogger.