expr:class='data:blog.pageType'>

ADIADA VOTAÇÃO DO FIM DAS COLIGAÇÕES


Deputados avaliam que adiamento abre brecha para STF intervir e decidir sobre constitucionalidade da medida
O plenário da Câmara adiou, na madrugada desta quarta-feira, 20, a análise da proposta que trata do fim das coligações nas eleições proporcionais e da criação de uma cláusula de desempenho aos partidos. Antes, deputados rejeitaram o chamado distritão. Após o presidente em exercício da Câmara, deputado Fábio Ramalho (PMDB-MG), anunciar que a votação seria retomada às 13h nesta quarta-feira, parlamentares começaram a protestar a afirmar que a reforma política seria feita pelo Supremo Tribunal Federal (STF). “Hoje, mais uma vez, essa Casa colaborou com a judicialização da política. O Supremo vai resolver”, disse o deputado Sílvio Costa (PTdoB-PE). Antes de a matéria ser adiada, a deputada Alice Portugal (PCdoB-BA) também protestou. “Temos que ter bastante serenidade, temos que entender que a partir de agora um vazio decisório poderá, sim, nos levar a um chamamento de outro Poder intervir na nossa decisão soberana”, disse, se referindo-se também ao STF. Nesta semana, o presidente do TSE e ministro STF, Gilmar Mendes, disse que se a Câmara não votasse o fim de coligações, a Corte poderia analisar o assunto. Partidos começaram a obstruir a sessão quando se deram conta que não haveria o número de votos necessário para aprovar um destaque que proibia as coligações nas eleições proporcionais apenas a partir das eleições municipais de 2020. O texto inicial, relatado pela deputada Shéridan (PSDB-RR), acaba com as coligações já para as eleições de 2018. “A grande maioria que estão votando pela obstrução, estão dizendo o seguinte: ‘Eu sou contra as coligações, mas não para mim, deixa eu me reeleger, depois eu acabo as coligações para os outros’. Peço a Deus que possa iluminar a cabeça dos ministros do Supremo e lá definitivamente eles acabem com esse que é o grande mal do sistema político do Brasil”, disse o deputado Daniel Vilella (PMDB-GO). Para que as mudanças passem a valer para as eleições de 2018, elas têm de ser aprovadas até dia 7 de outubro. Para serem aprovadas, propostas de emendas à Constituição precisam do apoio de 308 dos 513 deputados.
Estadão
ADIADA VOTAÇÃO DO FIM DAS COLIGAÇÕES ADIADA VOTAÇÃO DO FIM DAS COLIGAÇÕES Reviewed by Redação Mural do Oeste on quarta-feira, setembro 20, 2017 Rating: 5

Nenhum comentário:

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Blog Mural do Oeste É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. Blog Mural do Oeste poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada,Que esteja sem indentificação.

Tecnologia do Blogger.