expr:class='data:blog.pageType'>

MICHEL TEMER RECEBE ENTIDADES DO AGRONEGÓCIO E VAI DAR RESPOSTA DEFINITIVA SOBRE O FIM DO FUNRURAL




Desta vez os produtores rurais foram amplamente representados em  audiência especial  com o Presidente da Rebública Michel Temer. Um trabalho articulado especialmente pela Associação Nacional de Defesa dos Agricultores- ANDATERRA, dando representatividade legítima na luta pelo fim do imposto que gera prejuízos e trava a produção brasileira, o FUNRURAL.  Uma articulação que envolveu entidades como Federação dos Plantadores de Cana do Brasil- FEPLANA; Comissão de Direito Agrário da OAB/SC; União Democrática Ruralista; Associação dos Avicultores do Oeste do Paraná- AAVIOPAR;  FUNRURAL BAHIA, Associação Nacional de Produtores de Alho- ANAPA, Associação Brasileira dos Citricultores – ASSOCITRUS; Associação Brasileira dos Exportadores de Gado- ABEG; Movimento FUNRURAL NÃO; Associação dos Agricultores da Bahia- AIBA; Associação Brasileira de Frigoríficos- ABRAFRIGOMOVIMENTO A VOZ DO CAMPO; Sindicato Rural do DF- SPRDF.  As entidades protocolaram documento oficializando o pedido pela segurança jurídica no campo, apenas com o cumprimento do que foi decidido no Senado Federal.  O texto trouxe a solução para o caso FUNRURAL.

Presidente Michel Temer sugeriu mesclar a medida provisória com a resolução do Senado

De acordo com o Advogado Jeferson Rocha que faz parte da Comissão de Direito Agrário da OAB/SC, o presidente garantiu que  vai estudar a matéria, e colocar fim no fantasma chamado FUNRURAL para reestabelecer a legalidade, a confiança e a segurança jurídica no poder judiciário, no Legislativo e no Executivo. A frase que marcou o Planalto esta semana, e deve ser entendida pela sociedade: “SEM PRODUTOR, NÃO TEM HAMBÚRGUER”.  Na realidade é muito mais do que isso, não tem emprego, não tem renda, não tem segurança alimentar.  Um produtor rural alimenta entre 150 e 200 pessoas por ano dados do USDA, departamento de agricultura dos estados Unidos.

O fantasma do FUNRURAL ainda barra o planejamento dos produtores no Brasil.

Já havia sido considerado inconstitucional pelo STF em dois julgamentos 11x0.  Mas a busca por receitas com julgamentos apertados, ressuscitaram o Funrural sem antes aguardar ao menos o transito em julgado da matéria, ameaçando os produtores rurais e os induzindo a aderirem a parcelamentos e confessarem um débito incerto e sub judice. Caos ao setor produtivo.  O Senado respondeu a altura no dia 13 de setembro,  conseguiu alterar os rumos do julgamento em curso, no Supremo Tribunal, para por fim ao clima de insegurança jurídica e grave instabilidade setorial. Uma vez que a interpretação equivocada do órgão exator, ficaria o produtor rural sujeito à cobrança do FUNURRAL. Isso  inviabilizaria  financeiramente, pois o produtor não tem como arcar com o pagamento dessa inesperada dívida, nem mesmo de forma parcelada,. Mesmo com a manifestação do Senado,  o poder executivo até o momento não deu cumprimento á norma, ao contrário, através da Receita Federal, remeteu carta noticiando que vai cobrar o FUNRURAL dos produtores e até encomendou parecer da  Procuradoria-Geral da fazenda Nacional- PGFN, sustentando manutenção da cobrança, em total desprezo a iniciativa do Senado da República.

Presidente reconhece a representatividade do produtores brasileiros

A Anda terra salientou que o presidente editou Medida Provisória possibilitando o parcelamento dos débitos Michel Temer foi induzido ao  erro porque fez  acreditando que  este pleito tivesse partido dos produtores, o que de  fato  não é verdade, pois nenhum produtor quer confessar uma dívida indevida, com base em julgamento precário e não transitado em julgado.  Um desrespeito ao Poder Legislativo que representa prejuízo para mais de 5 milhões de produtores brasileiros.

A solução  é simples e dentro da lei vigente no país, basta cumprir a Resolução do Senado federal, na total essência para que o campo continue gerando emprego e renda em um cenário econômico que exige apoio para quem faz o Brasil seguir em frente.

A entidade deixa claro que não se trata de anistia ou remissão de dívida

Vale lembrar o que provocou todo este embate que já dura 10 anos. Uma luta por direitos iguais e pagamento justo dos impostos assim como todo brasileiro. O presidente da Andaterra, Sérgio Pitt lembra que o relator do processo no STF o Ministro Edson Fachin sustentou a inconstitucionalidade material do FUNRURAL, uma vez que não existe motivo para se tratar de forma diferente o contribuinte rural e urbano, sob pena de violação do princípio da isonomia e igualdade tributária.  “Essa é a razão principal do processo judicial movido pelos produtores rurais. Nos demais setores da econômica o empregador paga 20 por cento sobre a folha de pagamento, e o produtor rural tem que pagar sobre a receita bruta. Eu estou pagando entre quatro e cinco vezes mais e isso não é justo, agora esperamos que a justiça corrija este erro tributário.”
MICHEL TEMER RECEBE ENTIDADES DO AGRONEGÓCIO E VAI DAR RESPOSTA DEFINITIVA SOBRE O FIM DO FUNRURAL MICHEL TEMER RECEBE ENTIDADES DO AGRONEGÓCIO E VAI DAR RESPOSTA DEFINITIVA SOBRE O FIM DO FUNRURAL Reviewed by Redação Mural do Oeste on quarta-feira, outubro 11, 2017 Rating: 5

Nenhum comentário:

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Blog Mural do Oeste É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. Blog Mural do Oeste poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada,Que esteja sem indentificação.

Tecnologia do Blogger.