expr:class='data:blog.pageType'>

RAQUEL DODGE DÁ PARECER PARA MANTER JOESLEY E SAUD PRESOS



Afirmando que o empresário Joesley Batista tem "impulso voltado a praticar crimes capazes de aumentar o seu poder econômico", a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, enviou parecer ao Supremo Tribunal Federal (STF) a favor da manutenção da prisão preventiva do dono do Grupo J&F e do ex-executivo do grupo Ricardo Saud. O relator Edson Fachin, que determinou a prisão, pediu a opinião da Procuradoria-geral da República depois que os investigados recorreram dessa decisão. Dodge afirmou que a soltura de ambos traria risco à investigação e à instrução criminal, à ordem pública e à aplicação da lei penal. 

Afirmando que Joesley é "integrante de organização criminosa dotada de elevado poderio econômico", a procuradora-geral destacou a suspeita de Joesley ter se valido de informações privilegiadas para fazer operações no mercado financeiro. "Há claras evidências de omissão de fatos graves, do ajustamento de depoimentos e declarações, além da apresentação de provas e fatos ainda não revelados às autoridades, apenas no momento mais oportuno para defesa", disse Dodge. "Não se pode olvidar, também, que o grande poder econômico do recorrente - que conta com propriedades, contas e residência no exterior - evidencia uma clara possibilidade de ocultação de bens e provas no estrangeiro, além de um fundado risco de fuga, o que representaria embaraço evidente à aplicação da lei penal", disse Dodge sobre Joesley.

 "Os fatos de que se tem notícia são gravíssimos, o caso é emblemático e sem precedentes na história do País, de forma que as investigações devem ser conduzidas com seriedade e cercadas de extrema cautela pelo Ministério Público e pelo Poder Judiciário. Não há espaço para incertezas", assinalou. Dodge afirmou, ainda, que há indícios de omissão intencional, premeditada e de má-fé de fatos, incluindo sobre a participação de Marcello Miller enquanto ainda era procurador da República. As evidências encontradas não dizem respeito apenas à possível atuação ilícita do ex-Procurador da República Marcelo Miller, o áudio e seu conteúdo demonstram, também, que os colaboradores estão agindo de forma orientada e que seus depoimentos buscam esclarecer de forma homogênea apenas os fatos que lhes interessam expor. Sobre Ricardo Saud, ex-diretor de relações institucionais do Grupo J&F, Dodge afirmou que "a omissão a ele imputada, e que restou evidenciada nos autos, é referente ao possível conhecimento de fatos ilícitos que teriam sido praticados por terceiras pessoas, as quais teriam prestado serviços à organização criminosa, e que nunca foram informados às autoridades competentes". 

Ela destacou a cidadania paraguaia de Saud. "Não se pode olvidar, também, que o poder econômico ostentado pelo recorrente e o fato de ter cidadania paraguaia - mantendo, inclusive no Paraguai, conta bancária não informada às autoridades brasileiras - evidencia uma clara possibilidade de ocultação de bens e provas no estrangeiro, além de um fundado risco de fuga, o que representaria embaraço evidente à aplicação da lei penal", disse.
RAQUEL DODGE DÁ PARECER PARA MANTER JOESLEY E SAUD PRESOS RAQUEL DODGE DÁ PARECER PARA MANTER JOESLEY E SAUD PRESOS Reviewed by Redação Mural do Oeste on terça-feira, outubro 10, 2017 Rating: 5

Nenhum comentário:

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Blog Mural do Oeste É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. Blog Mural do Oeste poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada,Que esteja sem indentificação.

Tecnologia do Blogger.